Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Publicado em 09/08/2018

Artigos

Quem é Jesus para você?



Estamos vivendo tempos trabalhosos, especialmente no que diz respeito ao exercício da fé em Cristo. Diariamente temos sido bombardeados com conceitos e ideologias que ferem de forma brutal os mandamentos divinos e o bom senso.
  
Além disso, em diversas partes do mundo, os cristãos são perseguidos, expulsos da sua casa, torturados e até mesmo mortos por se recusarem a negar a fé Jesus. Entretanto, tanto a ONU (Organização as Nações Unidas) como outros órgãos ligados aos “Direitos Humanos” e a grande mídia fazem vistas grossas para tal problema, como se não tivessem nada a ver com ele. 

Graças a Deus, no Brasil, ainda não há cristãos sendo mortos por causa da sua fé. No entanto, isso não significa que não existem perseguições. Ao contrário, nos últimos tempos, em diversos programas de televisão, manifestações nas ruas, em shows, peças de teatro e outras supostas expressões artísticas nossa fé e até mesmo Cristo são alvos de desrespeito e vilipêndio (fazer com que alguém se sinta humilhado, menosprezado e ofendido, através de palavras, gestos ou ações), o que é crime segundo a lei brasileira. 

Há alguns dias, por exemplo, um desses “artistas” chamou Jesus de “travesti” e “bicha”. A ironia é que o perfil oficial da ONU no Brasil saiu em defesa desse indivíduo, chegando a dizer o seguinte: “Solidariedade a Johnny Hoocker – contra os ataques de ódio e discriminação”. Chega a ser engraçado. Ele desrespeitou a fé de cerca de 85% da população brasileira, que é cristã, e dizem que ele é quem está sendo vítima. 
   
Outra ironia é que a emissora de televisão que mais tem ofendido os símbolos cristãos e Cristo “promoveu” o suposto artista, convidando-o para participar de um programa que tem o objetivo de ajudar crianças. Contudo a lamentável postura dessa emissora não é nenhuma surpresa. Como não o é a perseguição, que sempre existiu e continuará a existir. 
   
Talvez, você esteja se perguntando aonde eu quero chegar, e já lhe respondo. Sabendo que Jesus já nos prevenira sobre as perseguições, o foco não são elas ou os perseguidores. É você. Sou eu. É todo aquele que tem sede e fome de servir ao Senhor com sinceridade de coração, dando-lhe a devida honra, louvor, adoração e gratidão por toda a maravilhosa graça derramada sobre sua vida, em especial pela salvação eterna, conquistada por Cristo lá na sangrenta cruz do Calvário. 
 
Quando olhamos para Mateus 5: 10 ao 12, vemos Jesus nos dizer: “Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus; Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa.  Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós”. 
   
Lá em João 15: 18 ao 25, o Mestre também fala sobre perseguições. No entanto, vou pegar apenas o versículo 20, no qual o Senhor declara: “Lembrai-vos da palavra que vos disse: Não é o servo maior do que o seu senhor. Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós; se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa”. 

Veja como o Mestre nos preveniu sobre a existência desse problema. O mais lindo, porém, é que ele declara que devemos nos considerar bem-aventurados, isto é, verdadeiramente felizes quando as perseguições vierem. E vai além: devemos manifestar grande alegria, porque será grande o nosso galardão nos céus. 

Parece contraditório o que Jesus falou, mas não é. Ele quis dizer que se o cristão é perseguido significa que ele está no caminho certo, ou seja, realmente ele está servindo de sal e luz para este mundo, cujos valores morais e espirituais estão apodrecidos e perecem em densas trevas. E vou além: se os ímpios (A palavra 'ímpio' no grego, quer dizer: 'destituído de temor reverente a Deus'.) não se sentirem incomodados com os cristãos, devemos nos preocupar, pois significa que não estamos fazendo nenhuma diferença neste mundo pecaminoso. 
  
Portanto, como foi dito antes, nosso foco não são os que perseguem os cristãos. De certo modo, não importa o que eles falam de nós e de Cristo. Afinal, para os ímpios, o Mestre não significa nada ou nem mesmo existiu. Para outros, ele não passa de um profeta ou de um espírito iluminado. Para os que seguem o islamismo, por exemplo, ele é um profeta menor do que Maomé, e assim por diante. 
 
Em Mateus 16:13, Jesus perguntou para os discípulos quem as pessoas pensavam que ele era. Então, eles lhe disseram: “Alguns dizem que é João Batista; outros, Elias; e, ainda outros, Jeremias ou um dos profetas" – Mateus 16:14. A seguir, Cristo lhes perguntou: “E vocês? "Quem vocês dizem que eu sou?” – Mateus 16:15. Observe que o maior interesse de Jesus era saber o que seus discípulos pensavam sobre ele.
  
Veja o que lhe respondeu Pedro: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo" – 
Mateus. 16:16. Mas o que é ser o Cristo? Cristo é o termo usado em português para traduzir a palavra grega Χριστός (Khristós), que significa "Ungido". O termo grego, por sua vez, é uma tradução do termo hebraico מָשִׁיחַ (Māšîaḥ), transliterado para o Português como Messias
   
Em outras palavras: ser o Cristo significa ser o Ungido de Deus, enviado por ele para manifestar seu amor à humanidade e a cada indivíduo em particular, trazendo a salvação eterna a todo aquele que o aceitar como seu Senhor e Salvador pessoal – João 1:11 ao 13. Veja o que ele mesmo diz em João 3:16: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”.  
   
Quando ouviu a declaração de Pedro, o Mestre fez este magnífico comentário: “Bem-aventurado (Feliz) é você, Simão, filho de Jonas! Porque isto não lhe foi revelado por carne ou sangue, mas por meu Pai que está nos céus”  – Mateus 16:17. 

Hoje, sem dúvida, também é muito importante para Jesus saber quem ele é para VOCÊ. Ainda que para bilhões de pessoas ele seja apenas um mito, a personagem de uma lenda ou qualquer outra coisa, para você ele precisa ser o Cristo, o Salvador e o Senhor enviado para reconciliá-lo com o Pai (Romanos 5:10 e 11; II Coríntios 5:18 e 19). 
 
Sendo assim, independentemente do que o mundo pensa e do que diz, siga o conselho do escritor da carta aos Hebreus: “Portanto nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta, olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus. Considerai, pois, aquele que suportou tais contradições dos pecadores contra si mesmo, para que não enfraqueçais, desfalecendo em vossos ânimos” – Hebreus 12:1 e 2.  
  
E quanto aqueles que nos perseguem e que ofendem a Cristo? Devemos deixar que Deus, o qual é o Justo Juiz, cuide deles. Afinal, um dia, cada um de nós vai comparecer diante Dele para ser julgado pelo que fez aqui na terra. Veja: “Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal” – II Coríntios 5:10 (Leia também Hebreus 9:27; 10:31). 

É importante lembrar que faz parte de uma vida cristã autêntica a oração por aqueles que nos perseguem, a fim de que os olhos deles também sejam iluminados, assim como os nossos um dia foram (Efésios 1:18). Veja o que diz o apóstolo Paulo em Romanos 12:14: “Abençoem aqueles que os perseguem; abençoem, e não os amaldiçoem”. 
   
Paulo sabia muito bem do que estava falando, pois fora um dos mais terríveis perseguidores dos cristãos, quando seus olhos espirituais ainda estavam cegos para a verdade do Evangelho de Cristo.
   
Vale lembrar ainda que antes de ter esse encontro com o Senhor ele pensava estar fazendo um favor para Deus ao perseguir os cristãos. Todavia, depois de ter um encontro pessoal e real com o Senhor, tornou-se uma bênção para todos os cristãos de todos os tempos. E o mesmo pode acontecer com os perseguidores de hoje. Então, mesmo que a princípio seja difícil entender e aceitar isso. Precisamos crer que “para Deus nada é impossível” – Lucas 1:37.

Marcos A. Araújo

Formado em Letras e Pedagogia, professor da EBQ de Nova Odessa. Autor de três livros. Casado com Márcia e pai do Miguel e do Gabriel.